Polícia escocesa exige bodycams após quase 7000 agressões de agentes

A federação policial escocesa pede que todos os seus agentes recebam bodycams depois de revelar que o pessoal sofreu quase 7000 agressões no último ano. De acordo com a Police Scotland, o uso de bodycams pode levar a um "pico nas confissões de culpa", além de reduzir a pressão sobre os tribunais.

Bodycams ZEPCAM rodada abaixo

A força compartilhou a notícia de que milhares de policiais escoceses foram agredidos durante o ano passado, revelando um total de 6942 agressões registradas a policiais e funcionários. Isto é mais 413 do que no ano anterior. A polícia na Escócia está actualmente a realizar um consulta nacional para procurar opiniões sobre bodycams para agentes da polícia. Neste momento, apenas oficiais em partes do Nordeste da Escócia têm acesso a bodycams. Depois de lá serem testados em 2013, os bodycams têm sido mantidos em uso desde então.

Forte apoio público ao uso de bodycams

A iniciativa de realizar uma consulta nacional segue-se a "resultados positivos" de um inquérito online semelhante realizado em Fevereiro, no qual se procurou obter a opinião do público sobre agentes armados da Polícia Escocesa que utilizavam bodycams para registar determinados incidentes. Esta foi uma das maiores pesquisas realizadas pela força, com 9000 respostas. Os resultados demonstraram um forte apoio do público ao uso de bodycams.

Anteriormente, o Chefe Constable Livingstone já nomeou o "imperativo urgente, crítico, ético e operacional" para fornecer bodycams aos oficiais armados, que agora terá lugar a tempo para a conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas COP26, que se realiza em Glasgow este ano.

O Superintendente-Chefe Matt Richards, que está liderando o projeto, afirma que já é um fato conhecido que há um forte apoio público para o uso do vídeo usado pelo corpo. Ele diz: "Uma recente pesquisa pública mostrou que uma maioria significativa das pessoas que participaram pensava que o uso de câmeras de vídeo usadas pelo corpo aumentaria a confiança na polícia".

Devido a esta resposta positiva, Matt Richards compartilha que eles estão progredindo nos planos de equipar os oficiais armados com câmeras de vídeo usadas pelo corpo, o que colocará a Police Scotland em linha com outros serviços policiais no Reino Unido.

Grande passo para a polícia escocesa

O Superintendente Chefe Matt Richards explica que reconhece que a introdução de bodycams é um grande passo para o policiamento escocês. É por isso que a Police Scotland iniciou uma consulta pública formal sobre a introdução de bodycams para a maioria dos agentes e funcionários da polícia em todo o país.

Ele sublinha a importância de continuar a envolver as comunidades e envolvê-las sempre que uma nova tecnologia esteja a ser considerada que tenha um impacto directo sobre o público. Isto lhes permite compartilhar suas opiniões (que podem informar os planos da polícia) e expressar qualquer preocupação (ética), para que os policiais possam continuar a fazer seu trabalho com o apoio do público. As respostas à consulta nacional ajudarão a informar protocolos, formação e códigos de prática. Isto assegurará que as câmaras corporais sejam utilizadas de forma apropriada, o que está de acordo com os desejos do público. Como resultado, a força policial será capaz de proteger melhor o público e fornecer as melhores provas no tribunal, se necessário.

>> As nossas soluções para agentes da polícia

Partilhar Isto